Meninas, estou escrevendo um livro

Então, como já comentei em minhas redes sociais, estou escrevendo um livro. Se chamará “Odisseia Ômega – A Guerra do Vento” e trata-se de uma fantasia medieval, e tem um climão de RPG justamente por eu estar usando uma história de um RPG de mesa ao qual estou mestrando atualmente. A história se passa paralelamente, com personagens não relacionados. O mundo eu criei por volta de 2012, então é uma ideia – inclusive, de escrever um livro sobre – que venho amadurecendo desde então.

Não costumo ser uma pessoa muito disciplinado em projetos pessoais, mas com este, estou contente em ver que venho atingido minhas metas autoimpostas, que são de 1000 palavras ou um capítulo por dia. Também pretendo usar ilustrações minhas, e usá-las entre alguns capítulos. Para a capa, ainda não sei se quero ilustrá-la ou se vou usar arte de terceiros. Não vou falar muito da história, mas estou disponibilizando para quem quiser ler os quatro primeiros capítulos no link abaixo:

Odisseia Ômega – A Guerra do Vento (capítulos I-IV).pdf

Boa leitura a todos e feedbacks serão bem-vindos!

Anúncios

[Resenha] Stranger Things – 1ª temporada

STRANGER THINGS

A mais nova série original da Netflix, “Stranger Things”, estreou na última sexta (15) no serviço de streaming, e já é um sucesso com seus 8 episódios. É fácil perceber as referências onde beberam os criadores da série, os Irmãos Duffer (Matt e Ross): Stephen King e Steven Spielberg, em todo o clima oitentista da trama, que se passa em 1983, onde reinavam a paranoia da Guerra Fria e a tecnologia analógica. A história começa com as crianças do elenco – que aliás, roubam a cena de “Stranger Things” -, os amigos Will (Noah Schnapp, que parece uma miniatura do Elijah Wood), Mike (Finn Wolfhard), o estressadinho Lucas (Caleb McLaughlin) e o banguela e esperto Dustin (Gaten Matarazzo) jogando Dungeons & Dragons na casa de Mike. Enquanto isso, algo estranho foge das instalações da empresa de energia da cidade (fictícia) Hawkins. Depois de terminar uma sessão de dez horas seguidas (esses venceram a mim e meus amigos), os outros meninos vão embora de bicicleta quando, ao chegar em casa, Will desaparece, iniciando todo o mistério e drama da história. Enquanto boa parte dos adultos acreditam na morte do garoto desaparecido, Joyce (interpretada magistralmente por Winona Ryder), a mãe de Will, luta contra tudo e todos para procurar seu filho, acreditando que ele ainda está vivo. Os amigos de Will também passam a procurar Will e acabam encontrando uma estranha menina de cabelos raspados e de poucas palavras, que posteriormente diz se chamar Onze (011, interpretada por Millie Bobby Brown), com incríveis poderes psíquicos. Quanto mais se descobre dela, mais pistas os garotos ganham do paradeiro de Will, e, claro, muitos, mas MUITOS mistérios são apresentados ao público.

Lucas (Caleb McLaughlin), Dustin (Gaten Matarazzo), Mike (Finn Wolfhard) e Onze (Millie Brown).

Lucas (Caleb McLaughlin), Dustin (Gaten Matarazzo), Mike (Finn Wolfhard) e Onze (Millie Brown).

Destaque também para o xerife de Hawkins, Hopper (David Harbour), que também tem um histórico traumático, começa cético e conforme a trama avança, ele passa a ser o primeiro adulto, além de Joyce, a perceber que Will está vivo e que outras coisas sinistras na cidade estão envolvidas no desaparecimento do garoto.
Já no núcleo adolescente da série, temos a chatinha Nancy (Natalia Dyer), irmã de Mike e que namora o arrogante Steve (Joe Keery), o garoto popular da escola, e o esquisitão Jonathan (Charlie Heaton, uma mistura de Alfie Allen com Norman Reedus), irmão de Will que curte fotografia, e isso acaba colocando tanto ele em encrenca com Steve quanto na trilha do desaparecimento do irmão.
Já o vilão – humano, pelo menos, fica a cargo do ator Matthew Modine, que aqui interpreta o platinado Dr. Martin Brenner, chefe das instalações do Laboratório Nacional de Hawkins e que secretamente trabalha com espionagem psíquica (explorando os poderes da pobre Onze) e dimensões paralelas (!!!).

A série é um prato cheio para nerds (eu) e para quem viveu nos saudosos anos 1980 (eu 2x), e vou citar aqui algumas referências que apareceram na série:
“X-Men #134”: a edição americana de junho de 1980 dos mutantes da Marvel é citada duas vezes no primeiro episódio e ela trata da época em que o vilão Mestre Mental, aliado ao Clube do Inferno, seduz a x-man Jean Grey ao ponto de ela manifestar pela 1ª vez a entidade maligna Fênix Negra, dando o pontapé inicial na saga do lado negro da mutante. Será que o que acontece em X-Men #134 tem relação com a Onze?
P.S.: Professor X e Sr. Fantástico também são lembrados.
“O Enigma de Outro Mundo”: no quarto de Mike, há um poster de “The Thing”, filme de terror que ficou conhecido por aqui como “O Enigma de Outro Mundo” (1982), dirigido por John Carpenter e estrelado por Kurt Russel, e que ganhou remake em 2011. O professor dos garotos está assistindo o filme no final da temporada.
Demogorgon: uma das coisas mais legais de “Stranger Things” é que os garotos jogam D&D, isso numa época onde o videogame ainda estava engatinhando (um deles ganha um Atari, novidade na época, de Natal), e que era o máximo de diversão nos anos 1980, mais de 30 anos antes de Pokémon GO. Demogorgon, um monstro do RPG supracitado que é conhecido como “Príncipe dos Demônios”, é citado diversas vezes, pois assim que Mike e Onze chamam o monstro da trama.
“Should I Stay Or Should I Go?”: lançada pela banda The Clash em 1982, a música meio que vira um hino da série, que une os irmãos Will e Jonathan.

“Stranger Things” é uma série muito foda, a trilha sonora é fantástica, os efeitos especiais também não ficam atrás, gostei mesmo de tudo e recomendo, porém o final não é lá muito satisfatório (como eu sempre digo, o que importa é a jornada e não o destino), sem contar que muitas pontas ficaram soltas (vários mistérios foram jogados na nossa cara, no melhor estilo Lost, mas foram poucas as respostas dadas), que espero que resolvam na 2ª temporada (aparentemente confirmada). Aliás, a trama se encerra de uma maneira aberta mesmo, como alguns filmes oitentistas de terror.

Título original: “Stranger Things”.
Ano de estreia: 2016.
Criado e produzido por: Irmãos Duffer.
Elenco: Winona Ryder, Matthew Modine, Finn Wolfhard.
Duração: 8 episódios de +/- 55 minutos cada.
Nota: 8,5.

Feliz Dia da Toalha!

panico

Hoje é comemorado o Dia da Toalha, em homenagem a Douglas Adams, autor da saga de livros “O Guia do Mochileiros da Galáxia”, que faleceu neste dia em 2001.
Nesta data também comemora-se, em boa parte do mundo ocidental, o Dia do Orgulho Nerd, em comemoração ao lançamento nos cinemas do primeiro filme da saga Star Wars, “Episódio IV – Uma Nova Esperança”, em 25/05/1977. A comemoração oficial iniciou-se em 2006 na Espanha, mas foi se propagando pelo mundo.
Se você é fã seja de Star Wars, do Guia do Mochileiro ou de qualquer outra saga/franquia/universo que foi lembrada na montagem acima, parabéns, pois esse é o nosso dia! E nada de “bazingueiros”, hein? Hoje em dia tem muita gente que se considera “”nerd”” só por ser “cool“.
Vida longa e próspera a todos e não entre em pânico! \\//_

dont-panic-towel-day-1000x600