A emocionante história de uma vovó errepegista (RIP)

Há alguns dias, um usuário francês no Twitter do perfil @AntnHz (Antoine H.) compartilhou (em inglês nesta thread) uma emocionante história sobre sua avó, que eu traduzi abaixo:

‘Minha avó faleceu. O funeral foi hoje [23/8], mas aqui eu gostaria de falar sobre a coisa mais importante que eu não pude gastar muito tempo no discurso que fiz à ela: seu amor por Dungeons & Dragons.
Ela começou muito tarde, aos 75 anos, apenas um ano atrás. Um dia eu simplesmente perguntei à ela se ele gostaria de tentar, e, como sempre quando apresentada a algo novo, ela disse “É claro!”. Então nós pegamos meu Livro de Jogador e construimos um personagem juntos.
Minha avó escolheu ser um gnomo da floresta porque eles parecem ser a mais feliz das raças, e ela realmente gostou do fato de ela poder falar com animais pequenos. Ela escolheu ser druida somente por ter a temática amizade animal em dobro. E também quando nós fomos para as características do personagem, eu perguntei à ela: “Você quer ser menino ou menina?”, e ela respondeu de pronto “Eu sempre fui uma garota minha vida toda, seria divertido experimentar ser um garoto pelo menos uma vez”.
Então nós estávamos fazendo a ficha do personagem dela, rolando [os dados para] as estatísticas (ela tirou um 17 e colocou em Sabedoria) e, escolhendo seus primeiros feitiços, eu perguntei se ela tinha um nome [para o personagem] em mente. “Eu não sei, eu vou encontrar um amanhã”. Naquela noite, ela fez algo que nem mesmo eu esperava: ela foi na internet e leu cada pedaço de informação sobre gnomos. Ela mal sabia usar o Google, e ainda sim lá estava ela, navegando por artigos da Wikipedia e fansites de D&D.
No dia seguinte, bem antes de jogarmos pela primeira vez, ela revelou o nome para o grupo: Terminatur. Ah, e ela também desenhou ele.

O fato é, ela nem sabia sobre o Terminator [“Exterminador do Futuro” em inglês] (apesar de ela provavelmente ter ouvido esse nome e trouxe de volta subconscientemente). Ela não falava inglês, então ela não fazia ideia da conotação. Ela tirou de “termite” [cupim] porque ela gostou da ideia dos gnomos morarem em tocas, e “nature” [natureza], porque ela era um druida. Ambas as palavras são iguais [salvo pronúncias] [no inglês e] no francês. E ela tirou o “E” no final porque, sem brincadeira, “é mais legal”.
Então nós começamos a jogar. Era uma campanha [história] nova começando no nível 1, e eu decidi abordá-la como uma série de one-shots [histórias que duram uma sessão], para que então os jogadores pudessem ir e vir sem ter compromisso com a história quando um personagem estava ausente. Essencialmente, eles eram aventureiros enviados em missões por sua guilda.
O grupo era composto por um feiticeiro Kalashtar, um ranger meio-elfo e nosso pequeno gnomo druida, que não ia a lugar algum sem seu amigo ganso. Eles escolheram realizar a limpeza de uma casa com fama de mal-assombrada. E foi quando eu soube que minha avó iria se apaixonar por RPGs. Eles exploraram a casa um pouco e, à noite, foram atacados por uma mesa de cozinha, que descobriu-se tratar-se de um Mímico. Minha avó estava assustada de verdade, como se estivesse num filme de terror, mas estava sorrindo durante todo o tempo. Minha avó vivenciou mesmo. Tanto que às vezes ela tinha que fechar os olhos para se acalmar um pouco […]
Contrariada em se aproximar do Mímico, ela lançou pela primeira vez uma cantrip [truque] que se tornaria seu feitiço de assinatura: Torn Whip [“chicote de espinhos”]. De agora em diante à qualquer hora que pudesse ou quando ela não sabia o que fazer. Ela adorava aquele feitiço. […]
Continuando, ela lançou o feitiço e fez sua primeira rolagem de ataque… um 20 natural. Todos na mesa VIBRARAM […]. Não poderia ter sido mais perfeito.
Assim nascia Terminatur. O grupo acabou por se estabelecer naquela casa, transformando-a em sua base, e ela fez ali seu lar; em outras sessões, ela usou a druidaria para literalmente crescer uma nova mesa de cozinha onde o Mímico estava, e [também] plantou uma horta, onde ela inventou uma nova fruta. Esta fruta ela chamou de “cipal”, que meses depois serviria como moeda de permuta com as fadas, e [sua horta] se transformou num pomar de fadas. Isto acabou levando Terminatur a se tornar um membro de um grupo ecológico multiplanar, o Círculo da Mão Verde. Eu convidei Terminatur para ser parte deste grupo enviando a ele uma carta na vida real para o endereço da minha avó. Ela ficou extasiada, e respondeu do mesmo jeito me enviando uma carta inteiramente escrita pelo personagem. Ela cobriu a carta com selos antigos representando árvores e dragões.

Os últimos meses foram duros. Ela estava lutando contra um câncer no pâncreas, e as coisas ficaram piores. Às vezes, a dor e o cansaço da quimioterapia era tantos que ela não conseguia jogar. Ela ainda jogava quando podia, e atualizou seu desenho:

As cores da roupa do Terminatur foram inspiradas no personagem de quadrinhos Bécassine, que ela amava desde criança. “Bécassine” é um tesouro nacional e um dos mais notáveis personagens na França, mesmo que desconhecido no exterior.
A propósito, nós decidimos que, canonicamente, Terminatur se pareceria com Simon de Dice Camera Action, desenhado pelo espetacular @genkaiko nesta imagem, com cabelo loiro e encaracolado e uma paleta de cores como as de Bécassine.
[…] Minha avó também foi responsável pelo nome do grupo. Nesta campanha, todos meus jogadores usavam colares de verdade com pequenas quinquilharias que eles achavam em suas aventuras e então eu entregava a eles como recompensas: medalhas, anéis, dentes de monstros…

Minha avó estava particularmente sobrecarregada [de objetos no colar], então um dia ela veio com um nome em potencial, “les Bijoutiers Fantaisistes” [Os Joalheiros Fantasiosos]. Foi TÃO divertido e inesperado, todos adoraram na hora, e eles estavam se chamando assim desde então, frequentemente pela abreviação “BF”.
Menos de um mês atrás, o câncer tomou seu corpo inteiro. Ela estava hospitalizada e ficou lá até falecer, na manhã da quarta-feira [21/8]. A última coisa que ela me disse foi “Nunca mude, nunca perca seu espírito de família e continue jogando Dungeons & Dragons“.
Então o BF continuará sem seu druida. E em todas minhas campanhas futuras, jogadores irão ouvir sobre o lendário gnomo extraplanar com um ganso em sua cabeça que entregou uma estranha fruta, estalou seu chicote e desapareceu.
Aqui está a melhor vovó do mundo. Tenho saudades dela desde já.’


Seguidores e pessoas que leram esta história resolveram homenagear a avó de Antoine, e enviaram a ele suas versões de Terminatur. Aqui estão algumas delas:

Que coisa mais linda tudo isso! 😢

Assista ao trailer final de Coringa

A Warner divulgou o novo trailer completo de Coringa (Joker), filme de Todd Phillips estrelado por Joaquin Phoenix. Confira abaixo:

Papel da vida do Joaquin Phoenix, hein.

Além de Joaquin Phoenix, o elenco conta com Robert De Niro, Zazie Beetz, Bill Camp, Frances Conroy e Brett Cullen. A estreia de Coringa está marcada para 3 de outubro no Brasil.

Fonte: Omelete.

Primeiro trailer de Star Wars IX

Finalmente o primeiro vislumbre em vídeo de Star Wars – A Ascenção Skywalker! Assista abaixo:

O vídeo começa com alguns momentos dos 8 filmes anteriores, em clima de despedida. E aparecem várias coisas chocantes no trailer, como Rey (Daisy Ridley) e Kylo (Adam Driver) lutando de sabres de luz em alto-mar, uma frota imensa de cruzadores e “Darth Rey” com direito a sabre de luz vermelho duplo. OLOCO BICHO!

Star Wars IX chega aos cinemas brasileiros em 19 de dezembro.

Lista de filmes do Homem-Aranha que a Sony fará sem a Marvel

Com o fim do acordo entre a Sony e a Marvel, que garantia a participação do Homem-Aranha no MCU, os holofotes se voltaram para a franquia do Aranhaverso que a Sony está tentando construir nos próximos anos.

Com mais de 900 personagens à sua disposição, a Sony deve construir um universo de filmes bem extenso, utilizando heróis e vilões do Homem-Aranha em diversos filmes derivados.

O CinemaBlend listou todos os filmes do Homem-Aranha que a Sony fará sem a Marvel.

Morbius

Protagonizado por Jared Leto, Morbius será o próximo personagem do universo Homem-Aranha a ganhar um filme solo pela Sony.

Nos quadrinhos da Marvel, o Dr. Michael Morbius é um vilão – e às vezes aliado do Homem-Aranha – que se transforma em um vampiro-vivo para tentar curar uma doença grave.

Morbius é dirigido por Daniel Espinosa. Além de Jared Leto, o elenco conta com Jared Harris, Tyrese Gibson, Adria Arjona e Matt Smith.

Venom 2

Dirigido por Andy Serkis, Venom 2 continuará contando a história de Eddie Brock (Tom Hardy) que dessa vez enfrentará o terrível vilão Carnificina (Woody Harrelson). Ambos são vilões clássicos do Homem-Aranha. O filme também contará com o retorno de Michelle Williams.

Homem-Aranha: No Aranhaverso 2

Vencedor do Oscar, Homem-Aranha: No Aranhaverso teve uma sequência confirmada pela Sony. A animação, que foi dirigida por Phil Lord e Chris Miller, deverá contar com o retorno de toda a equipe do primeiro filme.

Homem-Aranha: No Aranhaverso 2 deve seguir contando a história de Miles Morales, que se transforma no Homem-Aranha depois da morte de Peter Parker e descobre que existem diversos heróis como ele em outras realidades alternativas.

Spin-off de Gwen Stacy

Além de Homem-Aranha: No Aranhaverso 2, a Sony também planeja fazer um spin-off da animação vencedora no Oscar, focado majoritariamente em Gwen Stacy, uma das heroínas da franquia. A diretora Lauren Montgomery, de Batman: Ano Um, já demonstrou interesse no projeto.

Kraven, o Caçador

Um filme solo de Kraven, o Caçador, está há anos nos planejamentos da Sony, mas a verdade é que ele nunca saiu do papel. Apesar disso, o roteirista Richard Wenk foi contratado para desenvolver o longa sobre o vilão de Homem-Aranha.

O roteirista disse que a história desse filme será baseada na Última Caçada de Kraven, história em que Kraven derrota o Homem-Aranha e assume sua identidade.

Além disso, o diretor Jon Watts, de Homem-Aranha: Longe de Casa, disse que gostaria de utilizar Kraven em Homem-Aranha 3. De qualquer forma, é certo que veremos Kraven, o Caçador em algum momento nos próximos anos.

Nightwatch

Outro filme do Homem-Aranha que está sendo produzido é uma aventura solo do herói Nighwatch. Spike Lee já foi especulado no projeto, mas o diretor acabou negando qualquer envolvimento. Mesmo assim, tudo indica que o filme ainda está em produção na Sony.

O Nightwatch é um personagem bem coadjuvante do universo Homem-Aranha, tendo aparecido pela primeira vez na HQ Web of Spider-Man #97.

Loteria

Pouco foi anunciado sobre este projeto, mas sabe-se que a Sony também tem interesse em fazer um spin-off da Loteria, heroína dos quadrinhos do Homem-Aranha que se parece muito com Mary Jane. Ainda não há elenco e nem diretor confirmado para esse filme.

Gata Negra & Sabre de Prata

A Sony ainda tem esperanças em desenvolver um spin-off da Gata Negra e da Sabre de Prata, duas personagens que são aliadas – e às vezes inimigas – recorrentes do Homem-Aranha. Foi dito que a diretora/roteirista Gina Prince-Bythewood estava vinculada ao projeto, mas ainda não há nenhuma confirmação sobre seu desenvolvimento.

Teia de Seda

Outra personagem do universo Homem-Aranha que deve ser explorada pela Sony é a heroína Teia de Seda, uma personagem descendente de coreanos que também se torna uma espécie de versão feminina do herói. Ainda não se sabe se a Teia de Seda será explorada em um filme solo, ou no spin-off de Aranhaverso protagonizado por Gwen Stacy.

Sexteto Sinistro

Existe um projeto de filme solo do Sexteto Sinistro que está engavetado na Sony há anos. O supergrupo de vilões do Homem-Aranha quase apareceu na sequência de O Espetacular Homem-Aranha 2 – que nunca chegou a ser lançada.

Depois que a franquia Homem-Aranha sofreu um reboot, o diretor Drew Goddard foi contratado para dirigir um filme solo do Sexteto Sinistro, que nunca foi desenvolvido. Apesar disso, a Sony ainda espera concluir o projeto em algum momento.

Fonte: Observatório do Cinema.

O elenco de Os Eternos adiciona Kit Harington, Barry Keoghan e Gemma Chan

Durante a D23 Expo que ocorre neste fim de semana, foi revelado que o elenco do filme Os Eternos, do Marvel Studios, adicionou três novos nomes: Kit Harington, Barry Keoghan e Gemma Chan. O ator de Game of Thrones será Dane Whitman, o Cavaleiro Negro (que não é um Eterno e isso deve ser explicado no filme), Barry Keoghan (Chernobyl) será Druig e a atriz, que foi a Minn-Erva de Capitã Marvel, será Sersi

Criados em 1976, os Eternos são uma raça de super-humanos criados pelos alienígenas Celestiais durante sua visita à Terra. Porém, ao mesmo tempo que conceberam este grupo, os experimentos genéticos dos Celestiais originaram também os Deviantes, uma espécie de face corrompida das suas primeiras criações. O filme terá direção de Chloé Zhao e o elenco inclui Angelina JolieSalma HayekRichard Madden e Brian Tyree Henry. O longa chegará aos cinemas em 6 de novembro de 2020.

Fonte: Omelete.

Primeiro trailer da série The Mandalorian

Segue primeiro trailer de The Mandalorian, série de Star Wars:

Ontem também foi revelado um belo pôster da série:

Criada por Jon Favreau, a série se passará depois da queda do Império em Star Wars: O Retorno de Jedi e antes do nascimento da Primeira Ordem em Star Wars: O Despertar da Força. Pedro Pascal (Game of Thrones, Narcos) será o protagonista mandaloriano que estampa a imagem acima, um caçador de recompensa com visual parecido ao de Jango e Boba Fett. O elenco ainda conta com nomes como Nick Nolte, Werner Herzog, Gina Carano, Carl Weathers e Giancarlo Esposito.

Com oito episódios, a primeira temporada de The Mandalorian terá será lançada no dia 12 de novembro, exclusivamente no Disney+.

Fonte: IGN Brasil.

Novas séries Marvel para o Disney+ (e outras novidades)

Hoje começou a D23 Expo, exposição anual da Disney onde a empresa divulga suas novidades, e fomos apresentados a três novas séries Marvel para o canal de streaming da Disney, o Disney+. São elas: Ms. Marvel, Moon Knight (Cavaleiro da Lua) e She-Hulk (Mulher-Hulk). Eis as logos das mesmas:

Além destas, foram divulgadas novidades sobre a série animada What If..? que será responsável por mostrar realidades alternativas do Universo Marvel. Nela veremos Peggy Carter (Hayley Atwell) como a Capitã Britânia, além dos Zumbis Marvel e o Vigia.

E sobre a série Loki foi anunciado que serão seis episódios com 1 hora de duração cada, e serão dirigidos por Kate Herron (Sex Education). Foi mostrado um vídeo (ainda não liberado na internet) onde Loki (Tom Hiddleston) aparece nas ruas em 1975 (que pode ser confirmado com o filme Tubarão em cartaz num cinema).

Sobre o canal de streaming, foi confirmado que apenas cinco países – incluindo o Brasil – terão liberados o serviço, a partir de 12 de novembro.

Mais novidades em breve.

[Resenha] The Boys – 1ª temporada

Pelos trailers eu já fiquei curioso para assistir essa série – com muito humor negro e mortes absurdas – e, depois de ver a galera na internet comentando de como The Boys é boa, fui obrigado a assistir… E que série, amiguinhos!

Mais uma inspirada em quadrinhos – HQ homônima criada por Garth Ennis, o mesmo de Preacher, e a série é produzida por Seth Rogen e Evan Goldberg, que também são responsáveis pela de Preacher, que já está indo para a 4ª temporada na AMC – The Boys, que saiu na Prime Video no última dia 26 com 8 episódios, nos mostra um mundo repleto de super-heróis, porém eles são mais um produto que rende bilhões de dólares em merchandising à megacorporação Vought do que heróis altruístas que realmente se preocupam por ajudar as pessoas. Nisso, somos apresentados a dois personagens: Hugh Campbell (Jack Quaid, filho de Dennis Quaid e Meg Ryan), um cara normal que teve sua namorada morta acidentalmente por um “super”, e Luz-Estrela (Erin Moriarty), uma poderosa heroína que finalmente foi admitida no mais famoso supergrupo da Vought intitulado Os Sete.

Luz-Estrela, Profundo (Chace Crawford), Rainha Maeve (Dominique McElligott), Capitão Pátria (Antony Starr), Black Noir (Nathan Mitchell), Trem-Bala (Jessie T. Usher) e Translúcido (Alex Hassell): Os Sete.

Enquanto Hughie é convidado a participar dos “The Boys” por Billy Butcher/Billy Bruto (Karl Urban), humanos normais porém bons de briga, espionagem e infiltração, com a perspectiva de se vingar dos super-heróis, Luz-Estrela descobre que o tão sonhado ingresso nos Sete não é um sonho tão bonito assim, pois os “heróis” são maus-caracteres (tive que procurar o plural de ‘mau-caráter’ e é isso mesmo, ok? rs), arrogantes e altamente perigosos, e ela tem que lidar com essa situação e descobrir o seu verdadeiro lugar no mundo.

Vamos lá: O que eu gostei:

  • A série é 18 anos, então espere muita violência, palavrões, sexo, nu frontal e mortes bizarras no melhor estilo Mortal Kombat. The Boys não possui “limites” e pode mostrar o que criaturas com superpoderes e sem nenhum escrúpulo poderiam fazer ao mundo, com muito humor negro, ação e diversão;
  • O universo de The Boys é muito interessante e repleto de figuras, e adorei a ideia de uma empresa multibilionária ser dona dos direitos de mais de 200 super-heróis através dos EUA, usando-os como produtos rentáveis e levando ao extremo o que seria o capitalismo tardio num universo de superseres;
  • Muito boa a sacada de Os Sete serem uma versão canalha da Liga da Justiça: temos um Superman (Capitão Pátria), The Flash (Trem-Bala), Mulher-Maravilha (Rainha Maeve) e Aquaman (Profundo). Hahaha!
  • A série não é somente sobre super-heróis. É mostrado com destaque como as pessoas normais convivem com os “paladinos” poderosos, e como suas vidas são afetadas pelas ações deles. É o caso de Hughie e os The Boys;
  • The Boys foge da fórmula dos outros quadrinhos. Apesar de não ser nada lá muito novo ou original (quem lembra de Injustice, por exemplo), mas consegue fugir do lugar-comum e ter personalidade própria, e nos faz torcer que seus super-heróis se deem mal hehe;
  • Adorei a personagem Luz-Estrela (Starlight, no original). Ela é poderosa de verdade – com suas rajadas de luz -, mas veio do interior e tem uma personalidade inocente, e ao mesmo tempo não dá perdão aos bandidos e senta o cacete pra valer neles. Meu outro preferido é o Capitão Pátria (Homelander) que, apesar de ser um vilão praticamente, é um personagem bem interessante, e seu olhar psicopata sempre me causa apreensão quando alguém contraria ele hehe;
  • A cena do avião no episódio 6 é muito forte. Quase causou choros em mim;
  • Mesmer, o personagem do Haley Joel Osment kkkkk Muito bom o arco dele;
  • Ver Karl Urban e Simon Pegg atuando juntos desde os filmes de Star Trek foi muito maneiro;
  • A personagem Kimiko (Karen Fukuhara). Ela aparece e a gente fica sem entender qual é a dela, mas durante os episódios, me afeiçoei à ela ♥
  • A cena do Trem-Bala no hospital foi muito engraçada. Hahaha!
  • Que bom que mudaram uma cena aí na adaptação. Seria muito pesada para a TV (clique por sua conta e risco pois SPOILERS);
  • O final não foi o que eu esperava, mas foi satisfatório até, e deixa um interessante gancho (ou mais) para a segunda temporada.

O que eu não gostei:

  • Do arco da Rainha Maeve. Eu fiquei esperançoso de que talvez ela fosse ter uma redenção, mas acabou que ela foi uma fdp como todos os outros dos Sete. Espero que isso mude na próxima temporada (a série já foi renovada);
  • O personagem Black Night. Entrou mudo e saiu calado. Como não li os quadrinhos, não sei qual é a dele, mas poderiam ter explicado porque ele não fala nada rs;
  • O ritmo de The Boys é alucinante em todos os primeiros episódios, mas dá uma caída nos dois últimos. Até que não foi tão ruim assim e não prejudica a experiência, mas poderiam ter sido mais divertidos.

Recomendo a série. Curta e necessária. Se você tem mais de 18 anos, aprecie essa maravilhosa série!

Título original: “The Boys”.
Ano de estreia: 2019.
Criado e produzido por: Eric Kripke, Evan Goldberg e Seth Rogen.
Duração: 8 episódios de +/- 60 minutos cada.
Nota do Gilga: 9,5.