[Primeiras Impressões] Cloak & Dagger

Estreante neste mês e com 3 episódios já disponíveis na Freeform (o canal de streaming da Disney) a mais nova série baseada num quadrinho Marvel: Manto & Adaga (Cloak & Dagger). A série mostra os adolescentes Tandy Bowen (Olivia Holt) e Tyrone Johnson (Aubrey Joseph), que têm histórias e dramas diferentes, unidos por um fatídico acidente – ocorrido anos antes, quando eles eram crianças – envolvendo a megacorporação Roxxon Corporation (empresa do mal dos quadrinhos e que já foi citada nas séries Marvel da Netflix), que conferiu a eles poderes sinistros.
Em três episódios ainda não tem como saber se todas as habilidades adquiridas por eles foram mostradas, mas até então, Tandy pode gerar luz e também criar “adagas de luz”, que parece um cristal luminoso, e Tyrone pode projetar uma “escuridão” sólida e se teleportar, porém ambos ainda não sabem controlar esses poderes, fora que eles tem ainda um extra que os personagens não têm nas HQs: quando encosta numa pessoa, Tandy pode se projetar numa lembrança da pessoa; já Ty pode ver um medo/pesadelo da pessoa (não sei se é bem isso, pois a série ainda não explicou direito).

A série é bem impressionante e se passa em Nova Orleans, e aborda assuntos como criminalidade, drogas, conspiração empresarial, religiosidade e bullying. A trama é leve, inteligente e com boas reviravoltas (o que foi aquele final do 2º episódio!?), e cada episódio é recheado com boas músicas, sendo a série de super-heróis com a melhor trilha sonora – na minha opinião – até o momento. Foi com ela que descobri a existência da excelente “American Funeral”, abaixo:

.
Cloak & Dagger
me fisgou e parece que será mais divertida do que Runaways (que estreou ano passado na Huluresenhei aqui), outra série “adolescente” da Marvel. Vamos acompanhar o desdobramento dela neste primeiro ano.

Anúncios

[Atualizado] Novas imagens oficiais de Aquaman

Enfim, as primeiras informações do filme solo do Aquaman foram mostradas. Da revista Entertainly Weekly, temos o vislumbre dos personagens Atlanna (Nicole Kidman que tá a própria ‘Iemanjá Deborah Blando’), e dos vilões Mestre dos Oceanos (Patrick Wilson) e Arraia Negra (Yahya Abdul-Mateen II). Veja abaixo:

[Atualizado] A EW liberou mais uma capa sobre o filme, agora com o Jason Momoa todo molhadinho:

.
Dirigido por James Wan, Aquaman estreia nos cinemas do Brasil em 13 de dezembro.

Fontes: Warner Channel Brasil, Adoro Cinema e Comicbook.com.

[Resenha] Ni no Kuni II

Depois de mais de 80 horas e jogando há 1 mês e meio, finalmente terminei o belíssimo Ni no Kuni II: Revenant Kingdom, o RPG de ação da Level 5 para PS4 que é a sequência (mas não uma continuação direta) de Ni no Kuni: Wrath of the White Witch (2011), para PS3.

Pra quem viu os trailers ou começa a jogar e não tá ligado, acha que tá jogando um filme animado dos Estúdios Ghibli (A Viagem de Chihiro, Meu Vizinho Totoro, lembra?), mas não é uma coincidência: Yoshiyuki Momose, o character designer, bem como o compositor Joe Hisaishi, responsável pelas belas trilhas, já trabalharam no famoso estúdio de animações.

Os personagens e a trama são cativantes, e os cenários e designs são bem impressionantes. Os meus cenários favoritos são Ding Dong Dell – a cidade do protagonista Evan; Hydropolis, uma cidade semiaquática com temáticas gregas, a “steampunkBroadleaf, e a incrível localidade Seat of the Seabeast, onde há uma estátua gigantesca de um deus com um tridente (aliás, adoraria saber a origem desse local, bem como Crash Site, um submarino imenso jogado na paisagem nevada, e não se acha o lore de NnK2 em lugar nenhum da internet, mas enfim).

Voltando para a história, vou dar uma pincelada bem rápida: Roland, que é um presidente em outra dimensão, e que aparece inexplicavelmente no mundo do jogo, e passa a ajudar o pequeno Evan, príncipe de Ding Dong Dell, a se recuperar de um golpe de estado que o destronou, e eles precisam sobreviver enquanto Evan cria um novo reino do zero chamado Evermore, e para levar sua ideologia de paz para os outros reinos. Nessa jornada, eles encontram os outros personagens: os piratas aéreos Batu e sua filha Tani; Leander, ex-conselheiro de Hydropolis; e Bracken, da tecnológica Broadleaf.
Nessa zona toda ainda temos os Kingmakers, poderosas criaturas que são o símbolo de um regente e com eles são unidos pelo “Kingsbond“. O kingmaker de Evan era Oakenhart, de Ding Dong Dell, mas depois do golpe sofrido pelo vilão Mausinger, ele foi obrigado a procurar outro – o que nos leva ao interessante jogo de puzzles que é a provação de um rei para conseguir seu Kingsbond – e encontra o fofinho e desbocado Lofty (mascote do jogo). Os outros são Longfang, de Goldpaw; Brineskimmer, de Hydropolis; e Bastion, de Broadleaf. O vilão final não vou falar quem é por motivos de spoilers, mas tem ligação com os kingsmakers (e ele possui um próprio).

“Olá! Tudo bem?”

.
Agora, vamos ao que interessa:

– O que gostei:

  • Sistema de batalha dinâmico e divertido, onde seus dedos é que decidem quantos golpes e quão forte eles podem ser definem os rumos das batalhas;
  • No jogo há inúmeras quests – principais e secundárias – e alguns podem chamar isso de padding, mas eu acho que quanto mais conteúdo um jogo tiver, maior proveito se tira dele e menos enfadonho ele se torna, levando o jogador a jogá-lo por horas e horas;
  • Arte do caralho! Personagens, cenários, monstros, dungeons, mapas, tudo tem uma estética leve e ao mesmo tempo complexa. O efeito de água e de algumas superfícies são fantásticas beirando ao realismo;
  • Que trilha sonora, amigos! Cada trilha – sem mentira nenhuma – é inesquecível e fica tocando por horas na sua cabeça mesmo quando você está fazendo suas atividades diárias hahaha! Minhas preferidas eu deixo mais abaixo, antes da nota final;
  • A dublagem em inglês é fantástica. Minhas favoritas são as de Evan e Loft que são muito divertidas e engraçadas;
  • Olha, eu não sou muito de RTS (Real Time Strategy), esses joguinhos de ficar construindo cidades, parques, cozinhas, hotéis etc, e ter que ficar cuidando de tudo e esperar as coisas ficarem prontas, mas administrar Evermore, com seus cidadãos (que vão morar lá depois de concluir algumas quests), lojas e prédios, e ficar subindo de nível tudo, é meio viciante e também “suga” muitas horas de seu dia hehe. Mas recomendo;
  • Os higgledies, aquelas criaturas minúsculas, coloridas e engraçadas que te acompanham por todo o lado, são muito divertidas e uma “mão na roda” na batalha, ajudando você a tirar mais dano dos monstros e chefes;
  • As skirmishs, as batalhas com seu exercitozinho, também é um side game interessantíssimo. Nunca pensei que aquele estilo de batalha fosse me cativar, mas é massa ficar upando seus exércitos para arrasar com os inimigos nas lutas.
  • Achei massa que tem bastante conteúdo pós game, e ainda é possível continuar de onde você parou, permitindo ainda platinar depois de derrotar o chefão final.

.
– O que não gostei:

  • As letrinhas pequenas das informações na tela. Pecaram nisso ao desenvolver a GUI (Graphical User Interface) do jogo, porque eu, míope, tinha que ficar bem perto da TV para poder ler os itens que os inimigos dropavam, ou a descrição das quests;
  • É um detalhe, mas às vezes incomoda: quando um monstro morre no meio de um combo, seu personagem continua a bater nele, o que atrapalha um pouco o andamento da batalha;
  • Por falar em itens, o sistema de itens consumíveis da batalha achei um pouco hardcore. Mesmo você tendo mais de 100 “poções” fracas de cura em seu inventário, por exemplo, você pode usar no máximo 10 por batalha. Angel’s Tear e Savior’s Tear, itens para ressuscitar seus personagens caídos, só é permitido usar menos de 10 cada, por exemplo. Então se você morrer mais do que isso, numa batalha difícil de boss, é game over na certa;
  • Mas, porém, os chefes não representaram muita dificuldade para mim. Eles eram na maioria até ridiculamente fáceis demais, o que pode ser frustrante em termos de desafios.

Resumindo, Ni no Nuki II é um RPG do caralho e super recomendado para quem só curte coisas mainstream, por exemplo, e que podem estar perdendo desfrutar de um excelente game apenas por ele não ser de uma franquia conhecida, fora que é uma obra de arte e tanto, que pode ser apreciada por diversos gostos diferentes.

Minhas trilhas preferidas:

Título original: Ni no Kuni II: Revenant Kingdom.
Ano de lançamento: 2018.
Empresa: Level 5.
Diretores: Yoshiaki Kusuda e Takafumi Koukami.
Artistas: Nobuyuki Yanai, Hiroshi Matsuyama, Hiroyuki Maeda e Yoshiyuki Momose.
Roteirista: Akihiro Hino.
Compositor: Joe Hisaishi.
Nota do Gilga: 9.

Primeiro trailer do filme live-action de Dumbo

Se você pediu ou não, pouco importa, pois taí o primeiro trailer do remake live-action de Dumbo:

Apesar de achar exagerada essa onda da Disney de versões live-action de seus clássicos animados, achei interessante o que mostra este trailer de Dumbo. Curti o visual do Michael Keaton.

Além de Keaton, o elenco conta ainda com Colin Farrell, Danny DeVitto e Eva Green, é dirigido por Tim Burton, e estreia no Brasil em 28 de abril de 2019.

Abaixo, o primeiro poster do filme:

.
Fonte: Omelete.

Novidades da E3 2018 – Dia 12 de junho

E3 (sigla para Electronic Entertainment Expo), principal feira de games, ocorre em Los Angeles entre os dias 09 e 12 de junho. Aqui vai um apanhado do que foi anunciado pela Nintendo nesta terça-feira:

Super Mario Party (Nintendo Switch): Lançamento em 5 de outubro.

Fire Emblem Three Houses (Nintendo Switch): Lançamento no outono de 2019 (entre março e maio).

Super Smash Bros. Ultimate (Nintendo Switch): Não ficou ninguém de fora. Lançamento em 07 de dezembro.

Daemon X Machina: 2019.

Overcooked 2: 7 de agosto.

Hollow Knight: Já disponível para Switch.

Octopath Traveler: Novo trailer de história.

Rolaram também novidades de Pokémon: Let’s Go:

Anunciados também Fortnite e Dragon Ball FighterZ para Switch.

Fontes: Promobit, IGN Brasil, Gameliner NL, Gamespot.

 

Novidades da E3 2018 – Dia 11 de junho

E3 (sigla para Electronic Entertainment Expo), principal feira de games, ocorre em Los Angeles entre os dias 09 e 12 de junho. Aqui vai um apanhado do que foi anunciado nesta segunda-feira:

Square-Enix

Shadow of the Tomb Raider:

Babylon’s Fall: Novidade da Platinum (Bayonetta, Nier: Automata) vindo por aí em 2019.

Just Cause 4:

The Quiet Man: Um personagem surdo num jogo cinemático feito para zerar em “uma sentada”.

Dragon Quest XI: Novo trailer. Sai em 4 de setembro para PS4.

Octopath Traveler: Rápido novo trailer. Sai em 13 de julho para Switch.

Ubisoft

Assassin’s Creed Odyssey: algumas informações desse game que, até então eram segredo, foram vazadas há alguns dias. Surge trailer e data de lançamento: 5 de outubro. Achei muito “oi já?”. Mal joguei o AC Origins (risos).

Beyond Good & Evil 2: Novo trailer.

Starlink: Battle for Atlas:

Skull and Bones: Novo trailer de gameplay.

Mario + Rabbids Kingdom Battle: Com uma orquestra, foi mostrado um pouco mais das habilidades de cada personagem do DLC Donkey Kong Adventure, que chega dia 26 de junho.

Transference (VR): Um game de puzzles produzido por ninguém menos do que o ator Elijah Wood.

The Last of Us 2: Vai ter beijo lésbico SIM!

Ghost of Tsushima: Você quer gameplay, @?

Resident Evil 2 Remake: OPA? OPA! 25 de janeiro de 2019.

Death Stranding: Pra quem é perturbado de verdade.

Mais trailer de Kingdom Hearts III, agora revelando o mundo de Piratas do Caribe:

Spider-Man: Sexteto Sinistro, caras!

Amanhã começa a feira “de verdade”, e terá a Nintendo.

Fontes: Kotaku, Tech Tudo, IGN Brasil, Canal Tech, The Enemy, Eurogamer PT, Voxel.

Novidades da E3 2018 – Dias 09 e 10 de junho

E3 (sigla para Electronic Entertainment Expo), principal feira de games, ocorre em Los Angeles entre os dias 09 e 12 de junho. Aqui vai um apanhado do que foi anunciado neste fim de semana:

Sábado (9/6):

Electronic Arts

Battlefield V: 

FIFA 19:

Unravel 2:

Star Wars: A saga galáctica criada por George Lucas recebeu dois anúncios durante a conferência. Star Wars: Battlefront II terá a terceira temporada de conteúdo terá personagens icônicos como Obi-Wan Kenobi, o jovem Anakin Skywalker e o Conde Dooku. Com eles, o jogador poderá explorar as Guerras Clônicas.
A  novidade foi a confirmação de Star Wars: Jedi Fallen Order está em desenvolvimento e será lançado até o final de 2019. Nenhum trailer ou imagem foi mostrado, apenas a promessa de que o jogo se passará entre os Episódios III e IV, época marcada pela ascensão de Darth Vader.

Anthem:

Domingo (10/6):

Microsoft

Halo Infinite:

Forza Horizon 4:

Gears of War: Gears of War 5, Gears of War Pop e Gears of War Tatics são os novos games da franquia.

Jump-Force: O sonho molhado dos otakus reúne Naruto, Death Note, One Piece e Dragon Ball num game de luta.

Cyberpunk 2077:

Devil May Cry 5:

Battletoads:

Kingdom Hearts III: Como também será lançado para Xbox, o game, que ganhou data de lançamento (29 de janeiro de 2019 no Ocidente), ganhou novo trailer de gameplay revelando o novo mundo, do filme Frozen:

Bethesda

Fallout 76:

RAGE 2:

Doom Eternal:

Wolfeinstein Youngblood:

Fontes: IGN Brasil, The Enemy, Tech Tudo.

Fiquem ligadinhos no blog para os anúncios de hoje. Teremos Square Enix, Ubisoft e Sony.

 

 

[Atualizado] Referências mitológicas na saga Final Fantasy

Como já falei aqui antes, Final Fantasy é minha saga de RPG favorita, e gosto como ela é notável por influenciar tantos outros jogos durante os seus 30 anos de existência. Mas além de ter suas próprias características, FF se inspira em várias lendas e outras literaturas – como O Senhor dos Anéis e Dungeons & Dragons – para criar a sua própria e vasta mitologia. Por falar em mitologia, muitos elementos desta saga de RPG se inspira nos mitos de civilizações antigas, como as mitologias grega, hindu, asteca, mas principalmente da nórdica, dando nomes a summons (poderosos seres invocáveis), monstros, personagens e até equipamentos (armas, armaduras e acessórios) e localidades. Seguem aqui alguns exemplos, separados por cada mitologia:

Mitologia nórdica:

Odin (summon):
Na mitologia germânica, Odin foi um deus amplamente venerado. Na mitologia nórdica, ele está associado com cura, morte, realeza, a forca, conhecimento, batalha, magia, poesia, frenesi e o alfabeto rúnico, e sua esposa era a deusa Frigg. Ao lado de seus irmãos Villi e Vé, é creditado pela criação do reino dos homens, Midgard, e da própria humanidade. Odin é o empregador das Valquírias (que controlam o destino das batalhas e coletam os mortos em combate), e ele reina a partir do salão do Valhalla, o equivalente nórdico ao paraíso (apenas aqueles que lutaram bravamente e morreram em combate eram elegíveis para adentrar).

Fenrir (summon/monstro):
Fenrir é um lobo monstruoso. Nas lendas, Fenrir é pai dos lobos Sköll e Hati Hróðvitnisson, e é filho de Loki. Com a chegada do Ragnarök, juntos aos seus filhos devorando a lua e o sol, Fenrir está destinado a destruir o planeta, com sua mandíbula inferior alcançando a terra, e sua mandíbula superior alcançando os céus. Foi profetizado que ele matará o deus Odin durante o Ragnarök, mas na sequência será morto por Víðarr, filho de Odin.

Kraken (monstro):
Os Krakens eram monstros marinhos gigantes, encontrados nas mitologias nórdica e islandesa. Frequentemente descritos como polvos ou lulas gigantes, era sabido que eles se levantavam das profundezas, agarrando e naufragando pequenos navios. Outros mitos contam que o maior perigo de um Kraken era os turbilhões deixados para trás depois que ele voltava para as profundezas.

Midgardsormr (monstro):
Midgardsormr (também conhecida como a Serpente do Mundo ou Jörmungandr) era a filha do meio de Loki com uma gigante chamada Angrboda. Odin a arremessou no oceano que envolve Midgard e eventualmente ela cresceu o suficiente para envolver o mundo inteiro e morder sua própria cauda. Foi profetizado que no dia do Ragnarörk, ela irá enfrentar seu arquirrival Thor, o deus do trovão. O céu escurecerá com a névoa venenosa emitida por Midgardsormr, e a batalha terminará com a morte de ambos. Thor irá matar a serpente e então cambaleará nove passos para trás antes de morrer com o veneno dela.

Ragnarok (arma/airship):
Ragnarök é um evento na mitologia nórdica equivalente ao Apocalipse. É um evento que se iniciará com a morte do deus Balder, que foi orquestrada por Loki. O Ragnarök foi o combate final de todas as grandes entidades da mitologia nórdica. Ele levou a todos as almas humanas em Valhalla a desceram para a batalha final.

Elfheim (localidade):
Uma cidade habitada apenas por elfos em Final Fantasy I (1987), teve inspiração em um dos Nove Reinos da mitologia nórdica de mesmo nome habitada pelos elfos da luz, e “Elfheim” significa “lar dos elfos”.

Niflheim (localidade):
A nação dos vilões de Final Fantasy XV (2015), Niflheim, também conhecido como Niflheimr, é uma localidade na mitologia nórdica que significa “lar da névoa”. Na história de Gylfaginning, Odin explica que a criação começou quando o gelo de Niflheimr encontrou com as chamas de Muspelheim.

Mitologia árabe*:

Ifrit (summon):
Na mitologia árabe, Ifrit (também conhecido com Efreet ou Afreet), é o nome dado a uma classe de Jinn (espírito mágico também conhecido como Djinn, Djini ou Gênio) composto de fogo. Embora eles pudessem viver por milhares de anos, não eram imortais, e se fossem cortados, eles poderiam “sangrar” o fogo que corre suas veias até seu corpo se exaurir.

Bahamut (summon):
Bahamut originalmente era uma enorme baleia na mitologia árabe pré-islâmica. Sobre as costas de Bahamut está um touro com quatro mil olhos, orelhas, narizes, bocas, línguas e pés chamado Kujuta (no qual foi baseado o summon Kjata em Final Fantasy VII). Entre eles há uma distância de 500 anos a pé. Nas costas de Kujuta há uma montanha de rubi. Sobre esta montanha há um anjo que carrega seis infernos, a terra, e sete paraísos em seus ombros.
Em outra versão da história árabe, Bahamut na verdade é um dragão e ele está sobre uma baleia chamada Liwash.

Gilgamesh (boss/summon):
É o personagem principal do Épico de Gilgamesh, um poema acadiano considerado a primeira grande obra literária. Ele é um semideus com força sobre-humana que construiu os muros de Uruk para defender seu povo e viajou para encontrar o sábio, Utnapishtim, um sobrevivente do Grande Dilúvio.
Foi em FF que ouvi falar pela primeira vez no mito de Gilgamesh, com sua aparição em Final Fantasy VIII (1999).

Mitologia hindu:

Shiva (summon):
Shiva (também conhecido como Śiva) é um deus hindu. Ele salvou o mundo uma vez tomando veneno, dando a ele pele azul ao redor do pescoço e garganta. Shiva é um deus masculino, mas pode se fundir com sua consorte Parvati para se tornar Ardhanari, um andrógino deus da dualidade. Shiva é o deus da destruição ao lado de Vishnu, que é o deus da preservação, e Brahma, o deus da criação. Juntos eles são as principais deidades do Trimurti (a Trindade hindu). Acredita-se que ele periodicamente destrói o mundo para depois recriá-lo.

Ramuh (summon):
Ramuh pode ter sido baseado em Lahmu, que é frequentemente retratado como um homem com barba usando uma faixa vermelha e de quatro a seis cachos em sua cabeça. Ele também pode ter sido vagamente baseado num poema épico hindu chamado Ramayana. Seu protagonista é Raama (ou Rama), conhecido por ter sido a encadernação do deus hindu Vishu. O nome Ramuh pode ser o amálgama de Raama e Vishnu.

Asura (summon/arma/monstro):
Os Asuras eram seres mitológicos em textos hindus que competiram pelo poder com os benevolentes devas (ou suras). Asuras eram descritos como poderosos semideuses ou demônios com boas ou más qualidades.
Asura é conhecido como Ashura no Japão, principalmente retratado como um deus de seis braços empunhando armas diferentes em cada mão.

Mitologia asteca:

Quezacotl (summon/monstro):
Quetzalcoatl é um das maiores deidades na antiga mitologia mesoamericana. Quetzalcōhuātl siginifica “serpente com penas” na língua nahuatl. Devido às muitas civilizações adorando a mesma deidade usando diferentes nomes para ele num espaço de quase 2000 anos, os atributos exatos e significados deste deus variam. A maioria das histórias, entretanto, concordam que Quetzacoatl era o deus da estrela da manhã e conhecido como o inventor dos livros, do calendário e deu à humanidade o milho. O culto ao deus era, em muitas religiões, ligados a sacrifícios humanos, enquanto em outras, eram avessas à esta prática.

Mitologia hebraica:

Leviathan (summon):
Leviatã é uma violenta criatura do mar que é mencionada tanto na Bíblia hebraica quanto no Talmude e em outros textos judeus antigos. Durante a era de ouro das navegações, o termo Leviatã se tornou sinônimo de qualquer grande criatura marinha, algumas vezes descrevendo baleias. Estudiosos da Bíblia interpretaram que Leviatã era nada mais do que uma criatura demoníaca do mar e um inimigo de Deus.
No Talmude e em outras fontes antigas dos judeus se referem ao Leviathã mais especificamente como uma serpente marinha, algumas vezes com múltiplas cabeças capazes de cuspir fogo, e que foi criada no quinto dia da Criação. É dito que durante o fim dos dias, Deus fará tendas, ou sukkah, com a pele do Leviatã para os justos viverem.
Leviatã é também um dos sete príncipes do inferno associado ao pecado capital Inveja e guardião dos portões do inferno na demonologia cristã.

Behemoth (monstro):
Behemoth é uma besta mencionada em Jó 40:15-24. Além de criaturas mitológicas, é parecido com elefante, hipopótamo, rinoceronte e bisão. Metaforicamente, o termo behemoth denota “uma poderosa entidade extramemte grande”.

Sephiroth (boss):
Sephiroth é o plural de Sephirah, em hebraico. Os Sephiroth são descritos na Kabbalah como as manifestações de Deus que permitem a ele se manifestar nos universos físico e metafísico. Sephiroth também significa “contar” (números).

Mitologia grega:

Cerberus (summon/monstro/arma):
Cérbero é um cão de três cabeças que guarda os portões do submundo na mitologia grega.

Titan (summon):
Titãs eram membros da segunda ordem de seres divinos na mitologia grega. Eles eram descendentes das deidades primordiais nascidos do Caos, e precederam os deuses do Olimpo, que tiveram que destroná-los.

Ixion (summon/monstro):
Ixião era o rei dos lápitos (uma antiga tribo da Tessália) e filho do deus Ares, de Antião ou do notório malfeitor Flégias na mitologia grega.
Ixião foi convocado à mesa dos deuses, mas ao invés de ser grato, ele imediatamente tentou seduzir Hera, esposa de Zeus. Zeus o impediu e então testou Ixião ao tentar seduzi-lo com uma falsa Hera feita de nuvens. Ixião dormiu com ela, e depois foi punido ao ser amarrado à uma roda flamejante que voa eternamente ao redor do mundo. Enquanto isso, a falsa Hera dá luz aos centauros, daí a razão pela qual Ixion é retratado como uma criatura parecida com um cavalo.

Hades (summon/boss):
Hades é o deus grego do submundo, bem como também o nome do próprio submundo. Apesar de muitas representações modernas, na mitologia grega antiga, Hades não era representado como sendo mal. Mais tarde, os cristãos (sempre eles) usaram o nome como sendo sinônimo do Diabo, que parece ser a inspiração para os monstros com este nome levam.

Sylph (summon):
Silfo (também chamados de sílfides) é uma criatura mitológica ocidental. O termo se originou com Paracelso (um estudioso suíço), que descreve os silfos como invisíveis seres do ar.

Phoenix (summon/item):
A Fênix é um pássaro longevo que ciclicamente se regenera ou renasce. Associada ao sol, uma fênix obtém nova vida ressurgindo das cinzas de sua predecessora. De acordo com algumas fontes, a fênix morre num espetáculo de chamas e combustão, embora outras fontes que afirmam que o pássaro lendário morre e simplesmente se decompõe antes de nascer novamente. De acordo com alguns textos, a fênix pode viver até 1400 anos antes de renascer.

Fonte: Final Fantasy Wikia.

* mais precisamente, mitologia acadiana, suméria, babilônica e outras civilizações do Oriente Médio que existiram antes do Islamismo.

Saiu trailer de Como Treinar seu Dragão 3

Divulgado hoje o primeiro trailer de Como Treinar seu Dragão 3 – O Mundo Oculto. Assista legendado:

Banguela encontra seu interessante romântico, uma dragão parecida com ele, porém da cor branca, e Soluço se depara com um caçador de Terrores da Noite, que quer pegar seu dragão a qualquer custo. Ao que parece, este filme encerra a trilogia da história dos dragõezinhos da Dreamworks.

Abaixo, o primeiro poster da animação:

.
Como Treinar seu Dragão 3 estreia nos cinemas brasileiros em 31 de janeiro de 2019.

Novo trailer espetacular de Homem-Aranha: No Aranhaverso

Divulgado hoje o segundo trailer do filme em animação Spider-Man into Spiderverse (ou Homem-Aranha: No Aranhaverso, no Brasil), estrelado pelo Aranha do Universo Ultimate Miles Morales. Assista abaixo, legendado:

O que eu não gostei: essa animação que parece stop motion;
O que eu gostei: Spider Gwen

Spider-Man into Spiderverse estreia nos cinemas brasileiros ’em 20 de dezembro.