[Resenha] Black Lightning

Encerrada no mês passado e com 13 episódios a 1ª temporada de Black Lightning (“Raio Negro” no Brasil), série da CW em parceria com a Netflix baseada nos quadrinhos da DC. Raio Negro foi o primeiro personagem afroamericano da editora, criado em 1977 por Tony Isabella e Trevor von Eeden. A história se passa na cidade fictícia de Freeland, nos EUA, onde a onda de criminalidade e violência policial contra os habitantes negros atinge um nível crítico, o que força Jefferson Pierce (Cress Williams), diretor da escola Garfield e super-herói aposentado, a voltar para sua vida de vigilantismo.

Alguns dos diferenciais dessa série em relação às outras do Arrowverseuniverso da qual não faz parte – é ser mais pé no chão do que Arrow, Flash e Supergirl, e abordar assuntos mais pesados e atuais, como racismo (o elenco é majoritariamente negro, um “Pantera Negra da TV” rs), violências urbana e policial, homossexualidade, drogas, alcoolismo e ativismo político.

Apesar de a série ter começado de maneira muito interessante (como pincelei no post das minhas primeiras impressões), Black Lightning caiu na mesmice ao mostrar a violência (mais gráfica do que qualquer outra série de super-heróis, é verdade) e clima de gângster em Freeland, e termina a temporada num “samba do crioulo doido” (com o perdão do trocadilho), com aquela explicação esdrúxula sobre a origem dos poderes de Raio Negro e outros metahumanos da série, aliada às motivações dos vilões.

Mas essa temporada teve bons momentos, principalmente os engraçados, como um diálogo entre Jefferson e Khalil (Jordan Calloway), namorado de sua filha, Jennifer (China Anne McClain), sobre sexo e técnicas de banho; ou o que ocorreu entre Jennifer e seus pais, Jefferson e Lynn (Christine Adams), também sobre sexo; ou como o primeiro uniforme da Tormenta (Nafessa Williams), que parecia uma “Beyoncé da era disco” etc.

Tormenta é uma das poucas coisas que se salvam na série.

.
Uma pena que a série deu essa decaída brusca no roteiro, aliada aos efeitos especiais pobrinhos e aos clichês do gênero. Dificilmente terei vontade de assistir sua segunda temporada (a série foi renovada).

Título original: “Black Lightning”.
Ano de estreia: 2018.
Criado e produzido por: Salim Akil, Sarah Schechter, Greg Berlanti, Mara Brock Akil, Oz Scott, Pascal Verschooris.
Elenco: Cress Williams, China Anne McClain, Nafessa Williams, Christine Adams, Marvin “Krondon” Jones III, Damon Gupton, James Remar.
Duração: 13 episódios de +/- 45 minutos cada.
Nota: 6,5.

Anúncios

Autor: Gilgamesh

The All-New All-Different Gilga das Galáxias™, um conjunto de conteúdos interessantes.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s