[Resenha] The Umbrella Academy – volume 1

TUA

Finalmente chegou em terras brasileiras, trazido pela Editora Devir, o 1º volume de “The Umbrella Academy”, criado pelo norte-americano Gerard Way – o cara que costumava ser o vocalista da extinta banda My Chemical Romance – e o brasileiro Gabriel Bá, sob o selo da Dark Horse. Além dessa mistura inusitada de criadores, o que mais me levava a querer ler essa obra é o fato de “The Umbrella Academy” ter ganho um Prêmio Eisner (que pra quem não manja, é o ~Oscar dos quadrinhos~) em 2008 como Melhor Série Limitada.

Vanya, Número Cinco, Séance, Rumor, Kraken e Sapceboy.
Vanya, Número Cinco, Séance, Rumor, Kraken e Sapceboy.

 

O primeiro volume, intitulado “Suíte do Apocalipse”, contém 6 histórias e conta a história da academia do título criada pelo cientista Sir Reginald Hargreeves, o Monóculo, que escolheu sete crianças ao redor do mundo dotadas de superpoderes e as adotou, treinando-as como super-heróis. São elas: Spaceboy, que teve sua cabeça implantada no corpo de um gorila gigante; Kraken, um cara arrogante especialista em facas; a Rumor, que tem o poder de alterar a realidade ao contar uma mentira; Séance, um levitador, telecinético e que pode contatar os mortos; Número Cinco, que pode viajar no tempo e, apesar de ter ficado preso num futuro pós-apocalíptico por 50 anos, está preso em seu corpo de quando tinha 10 anos de idade; Horror, que possui monstros de outra dimensão debaixo de sua pele; e Vanya, que a princípio não possuía poderes.

A trama principal de “Suíte do Apocalipse” começa com a morte do Monóculo, o que faz os 6 irmãos (Horror já estava morto) a se reunirem para o funeral do cientista depois de 10 anos separados. A vida de equipe de super-heróis parece não ter dado muito certo, talvez mais pelos gênios conflitantes de seus membros (Spaceboy e Kraken, por exemplo, se odeiam). Após enterrarem seu “pai”, Número Cinco, que acaba de voltar a essa era, revela aos irmãos que estão há 3 dias do dia do apocalipse – o mesmo que transformou o futuro onde ele ficou meio século preso – e que eles precisam descobrir o que causará a destruição da humanidade e impedi-la.

Capa de James Jean.
Capa de James Jean.

 

Bom, falando assim, a premissa parece ser boa, mas o desenrolar da história não é muito boa, e “Suíte do Apocalipse” deixa muito a desejar. Achei que não compensa a grana que investi no livro (a 2ª edição lançada pela Devir custa R$ 50,00!). As únicas coisas que realmente valem a pena são as capas originais do artista James Jean que são LINDAS. O acabamento da edição também está bom, bem como os extras (três histórias curtas, rascunhos e textos dos autores). O traço do Bá não é lá essas coisas, mas o cara tem talento, é o que importa. “The Umbrella Academy” vale mais como leitura trivial. Talvez se o próximo volume, “Dallas”, for bom, eu dê mais uma chance à série. Ah! E os 3º e 4º volumes já estão a caminho e parece que uma série de TV está para acontecer em breve.

Título original: “The Umbrella Academy: Apocalypse”.
Ano: 2008.
Autores: Gerard Way, Gabriel Bá, Dave Stewart, James Jean.
Editora: Devir.
Lançamento: Setembro/2015.
192 páginas
Nota do Gilga: 7.

Anúncios

Autor: Gilgamesh

The All-New All-Different Gilga das Galáxias™, um conjunto de conteúdos interessantes.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s